Secretário da Sagrima participa de reunião da Aprosoja em São Luís

35741644_189140491786348_6405256836454285312_n

A Associação dos Produtores de Soja e Milho – Aprosoja Brasil reuniu as 16 associações do país em São Luís, para discutir os novos investimentos do agronegócio do Maranhão.

O secretário de Agricultura, Pecuária e Pesca, Edjahilson Souza, o presidente da EMAP, Ted Lago, os secretários de Indústria, Comércio e Energia, Expedito Rodrigues, da Fazenda, Marcellus Ribeiro, participaram dos debates representando o Governo do Estado, além dos ex-secretários Simplício Araújo e Márcio Honaiser.

“Na Sagrima sempre estivemos de portas abertas. O governador Flávio Dino, fortaleceu a Secretaria de Agricultura do Estado (Sagrima), demonstrando o interesse em investir na produção agrícola, tornando essas medidas realidade, permitindo que o setor agropecuário, do nosso estado alcançasse o maior crescimento do PIB do país”, disse Edjahilson Souza.

Edjahilson Souza destacou ainda que nesses mais de setenta dias a frente da Sagrima, uma demanda da Aprosoja, prorrogação da licença ambiental foi atendida de imediato pelo governador Flávio Dino.

O secretário também comentou sobre as ações governamentais em benefício do setor, como a redução do ICMS de 12 para 2% e as obras do Anel da Soja, além da recuperação de estradas para escoamento da produção.

A Aprosoja representa mais de 90% da área plantada no Brasil e o Maranhão vem se destacando por seu grande potencial de expansão. Além da região de Balsas, o Oeste do estado e a região de Chapadinha já estão se consolidando e outras regiões também estão recebendo investimentos nessa atividade.

O presidente da Aprosoja /MA, José Carlos Oliveira de Paula, ressaltou a importância do apoio do Governo do Estado por meio da Sagrima, ao incentivo a  produção agrícola principalmente aos pequenos produtores, para que possam ter acesso ao crédito.

Bartolomeu Braz  também elogiou a ação do governo do Maranhão em conceder a diminuição do ICMS de 12% para 02% interestadual e de 12% para o mercado interno.