“Agora tem produto nosso nos grandes mercados”, comemora pequeno produtor do Agropolo da Ilha

Couve, alface, brócolis, vinagreira e cheiro-verde. São apenas algumas das inúmeras hortaliças produzidas no Agropolo da ilha que ganharam lugar de destaque nos maiores supermercados da capital.

Por meio de um selo especial e da identificação nas prateleiras, os consumidores maranhenses já podem identificar produtos locais, frutos da parceria entre pequenos produtores da Ilha e o Governo do Estado, por meio da Secretaria de Agricultura, Pecuária e Pesca (Sagrima).

Isso significa mais renda e mais emprego para os produtores. E mais vantagem para os consumidores, que têm acesso a produtos frescos e de qualidade.

Há mais de 20 anos como pequeno produtor, Sergimar da Silva diz que “essa é a primeira vez que uma gestão do estado realmente olha para os pequenos produtores. Com essa ajuda, consegui aumentar minha produção e chegar aonde nunca tinha esperado chegar, que é nos grandes supermercados da cidade”.

“É muito bom saber que o maranhense tá consumindo produto da terra, deixando de lado os produtos que vêm de outros estados vizinhos. Agora tem um produto nosso nas prateleiras dos grandes supermercados sendo levado para a mesa das famílias”, conta o produtor da Pindoba, que abastece o supermercado Maciel quatro vezes por semana com hortaliças, coco, mamão e outras frutas.

Quem também abriu as portas de suas lojas para os produtos do Agropolo da Ilha foi a rede Fribal e uma maiores redes de supermercado do Maranhão, o Grupo Mateus. Segundo o presidente da rede, Ilson Mateus, o grupo faz questão de incentivar a produção local.

“Em todas as cidades do Maranhão onde temos e teremos lojas, nós queremos essa parceria. É muito importante fortalecer esses pequenos produtores, gerando um código de barra para que eles possam expor seus produtos e incentivando-os a produzir cada vez mais e atendendo a grande demanda que existe dentro do Estado”, afirma Ilson Mateus.

Aprovação

Ajudando a gerar emprego e renda e incentivando o aumento da produção, o Agropolo da Ilha também atende uma demanda reprimida de produtos maranhenses nas prateleiras dos grandes mercados.

“Eu acho muito bom ter um produto que é aqui mesmo do Maranhão no supermercado. Além da gente ter um produto mais fresco para levar para casa, ainda ajuda os produtores daqui a venderem seus produtos, criando sua renda e oferecendo boa qualidade”, conta a dona de casa Ana Lucia Pereira, que levou couve, alface e cheiro-verde produzidos na grande Ilha de São Luís.

Os produtos do Agropolo nos mercados estão identificados com um selo.

Agropolo da Ilha

Desde 2015, o programa vem revolucionando a produção maranhense, incentivando pequenos produtores, difundindo tecnologia, valorizando produtos maranhenses e diminuindo a importação de diversos itens.

O titular da Sagrima, Márcio Honaiser, destaca que a sinalização nos supermercados é uma forma de mostrar que o governo estadual está acertando ao retomar o setor produtivo no estado. “Como diz o governador Flávio Dino, um dos pilares para a transformação do Maranhão é a produção, aliada à educação. Os Agropolos são ferramentas importantes nesse processo, contribuindo para transformar os pequenos produtores em grandes e diminuindo as nossas importações”, disse.

“Há um certo tempo que os produtores do Agropolo já têm seus produtos sendo oferecidos pelas grandes redes mercadistas, mas agora, com o selo Agropolo, os consumidores estão cientes de que os produtos que estão levando para casa são genuinamente maranhenses, produzidos aqui mesmo e valorizando a produção local, gerando emprego e oportunidade para nossa população”, destaca Honaiser.

Interagindo com o Programa Mais Produção na execução de ações voltadas para as vocações de cada região, fomentando diferentes cadeias produtivas, o Programa Agropolos realiza assistência técnica e gerencial, em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), aliada à entrega de equipamentos, insumos e capacitações aos pequenos produtores rurais e associações de produtores.

“É um ciclo de uma cadeira produtiva que vai desde a produção, a orientação técnica e de gestão ao produtor assistido até o transporte para o ponto de venda. É um processo que a gente vem apoiando, mas sem esquecer que os produtores também buscam outros meios, fazendo sua parte e buscando formas de ampliar os seus negócios”, completa o Secretário.

Resultados

Na cadeia de hortifruticultura, os produtores estão comemorando o aumento de 836% nos lucros. A produção também aumentou, com destaque para folhosas, onde itens como alface, vinagreira e coentro aumentaram de produção entre 14% e 38% cada um, enquanto a produtividade nas lavouras chegou a aumentar em até 62% no cultivo de mamão e 63% no de milho.